Mostrando postagens com marcador Estudos Biblicos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Estudos Biblicos. Mostrar todas as postagens

Fotos de Jesus - É errado ter fotos de Jesus?

por
Fotos de Jesus - É errado ter fotos de Jesus?

Quando Deus deu a sua Lei para a humanidade, Ele começou com uma declaração de quem é: "Eu sou o SENHOR, teu Deus, que te tirei da terra do Egito" (Êxodo 20:2) com um aviso de que não era para Israel ter outro Deus senão Ele. Logo em seguida Deus os proibiu de fazer qualquer imagem de qualquer coisa "nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra" (Êxodo 20:4) com o propósito de adorar ou diante da qual se curvar. A coisa fascinante sobre a história do povo judeu é que desobedeceram a esse mandamento mais do que a qualquer outro. Eles repetidamente fizeram ídolos para representar deuses e adorar; começando com a criação do bezerro de ouro durante o exato momento em que Deus estava dando os Dez Mandamentos a Moisés (Êxodo 32)! A adoração de ídolos não só afastou os israelitas do Deus vivo e verdadeiro, mas também abriu a porta a todos os tipos de outros pecados, inclusive a prostituição no templo, orgias e até mesmo o sacrifício de crianças.

 É possível que um retrato de Jesus ou um crucifixo possa se tornar um objeto de adoração, e nesse caso o adorador é o culpado.  No entanto, os crentes devem saber que o Senhor não pode ser reduzido a uma imagem bidimensional e que a oração ou adoração não deve ser oferecida a uma imagem. Um retrato nunca será uma imagem completa de Deus, nem poderá exibir a sua glória, e nunca deve ser um substituto para a forma como enxergamos a Deus ou aprofundamos o nosso conhecimento dEle. E, claro, até mesmo a mais bela representação de Jesus Cristo é nada mais que que a concepção de um artista de como o Senhor se parecia.

Na verdade, não sabemos como Jesus se parecia. Se fosse importante que soubéssemos os detalhes de sua aparência física, Mateus, Pedro e João certamente nos teriam dado uma descrição precisa, assim como teriam feito os próprios irmãos de Jesus, Tiago e Judas. No entanto, esses escritores do Novo Testamento não oferecem detalhes sobre os atributos físicos de Jesus. Somos deixados à nossa imaginação.

Nós certamente não precisamos de uma imagem que mostre a natureza de nosso Senhor e Salvador. Só temos que olhar para a Sua criação, como somos lembrados no Salmo 19:1-2: "Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos. Um dia discursa a outro dia, e uma noite revela conhecimento a outra noite." Além disso, a nossa própria existência como os remidos do Senhor, santificados e justificados pelo seu sangue derramado na cruz, deve nos fazer tê-lo sempre diante de nós.

A Bíblia, a própria Palavra de Deus, também está repleta de descrições não-físicas de Cristo que captam a nossa imaginação e emocionam as nossas almas. Ele é a luz do mundo (João 1:5); o pão da vida (João 6:32-33); a água viva que sacia a sede de nossas almas (João 4:14); o sumo sacerdote que intercede por nós junto ao Pai (Hebreus 2:17); o bom pastor que dá a vida por suas ovelhas (João 10:11, 14); o imaculado Cordeiro de Deus (Apocalipse 13: 8); o autor e consumador da nossa fé (Hebreus 12:2); o caminho, a verdade, a vida (João 14:6); e a própria imagem do Deus invisível (Colossenses 1:15). Tal Salvador é mais bonito para nós do que qualquer pedaço de papel pendurado na parede.fonte

Como Saber se Uma Pessoa Foi Curada Por Deus ou Satanás

por

Como saber se uma cura foi feita por Deus ou Satanás?


A Palavra de Deus apresenta o dom da cura como sendo uma possibilidade de Deus e de Satanás.


Jesus realizou muitos milagres de cura. Pedro, após ter alcançado a cura do coxo junto à porta chamada Formosa, afirmou claramente que aquele ato foi realizado pelo poder de Cristo Jesus e não pela sua capacidade (Atos 3:12-16). Assim, em toda a Escritura, a possibilidade de cura é alcançada pelo poder de Deus. Os instrumentos usados para tal milagre podem ser profetas, apóstolos ou alguém designado por Deus. A ciência e os médicos também podem ser usados hoje como instrumentos nas mãos de Deus para a operação de curas. As Escrituras não limitam a possibilidade de cura a uma determinada época ou período. Os milagres dão evidência do poder de Deus, mas não nos esqueçamos da contrafação satânica. Vejamos como isso acontece.

Dom de Cura ! Como Saber se é de Deus ou Não?


O apóstolo Paulo descreve a ação fraudulenta de Satanás em 2 Coríntios 11:13-15. Ele se disfarça em anjo de luz e assim também os seus apóstolos. O livro do Apocalipse apresenta os sinais e maravilhas da besta que representa Satanás e o Anticristo (Apocalipse 13:13 e 14, 16:13 e 14). Em seu sermão profético, Jesus evidencia a ação devastadora dos falsos Cristos e falsos profetas enganando até os escolhidos (Mateus 24:24). Em Mateus 7:22,23 Jesus relata a decepção que muitos supostos cristãos experimentarão, por ocasião da Sua volta. Segundo este relato, alguns expulsaram demônios, outros profetizaram e outros fizeram muitos “milagres”. Mas para o horror deles, Jesus dirá: “Apartai-vos de Mim, não vos conheço”.

Como saber se a cura foi efetuada por Deus ou Satanás? 




 O próprio Jesus responde (Mateus 7:21-23). A cura dá evidências da ação de um poder satânico ou divino. Ninguém deve acreditar num pregador ou apóstolo só porque realiza milagres. Se a sua vida e os seus ensinos não estiverem de acordo com a doutrina bíblica de nada servirão tais milagres (Isaías 8:19 e 20). A cura não prova a verdade e sim a verdade (bíblica) é que prova a cura.



Como Saber se Uma Pessoa Foi Curada Por Deus ou Satanás AMP HTML Há inúmeras religiões que falam muito de fé, mas se não houver cura, se não houver enriquecimento, não há motivação para seguir a Cristo. Será isto fé ou barganha? Se não houver compensação não há relacionamento? O apóstolo Paulo pediu para Deus curá-lo de sua enfermidade, mas Deus não o curou. Quer dizer então que o apóstolo Paulo não tinha fé? Cristo disse que seria melhor perder um olho, um braço ou a própria vida, do que perder a vida eterna.

Em Isaias 35:5 e 6 o profeta fala do tempo quando Deus virá restaurar a Terra, então os cegos, coxos, mudos e surdos serão curados pelo poder do Seu amor. Portanto, Deus nunca prometeu curar todos os que acreditam nEle, mas prometeu levá-los para o Seu lar onde não haverá mais morte nem dor (Apocalipse 21:1-4).

Nos primórdios da era cristã, Deus deu à igreja o dom da cura e outros dons, para dar crédito à pregação das boas-novas da salvação provida por um Deus que foi morto por simples mortais. Isto naquela época era loucura para os incrédulos. Os dons dados à Igreja eram para ser evidências do poder de Deus na vida de Seus humildes servos.


Note que a ênfase da pregação do evangelho que revolucionou o mundo não era baseada no dom da cura, mas no amor de Jesus demonstrado na cruz do calvário. Será que não havia doentes naquele tempo? Com certeza muitos! Mas os discípulos jamais usaram a cura como um meio de propagar suas crenças. As pessoas não estavam interessadas na cura, mas na nova vida oferecida por Cristo.


Os dons que Satanás concede

Satanás tem deturpado tudo o que Deus criou para a felicidade eterna do homem: o sexo, a música, a dança, os divertimentos, os alimentos, os dons espirituais, etc… Tanto é que Cristo advertiu-nos a respeito dos falsos cristos, falsos profetas, falsos milagres, etc. Hoje há muita exploração comercial e espiritual em torno das curas, onde se vê charlatanismo, truques baratos, autossugestão, e manifestações demoníacas. Graças a Deus que nossa salvação não depende de curas e milagres, mas sim da pessoa de Jesus. Ele é o único nome para a nossa salvação (Atos 4:12).

Cremos que Jesus pode e realiza milagres e curas maravilhosas, mas não é por isso que cremos nEle. Cremos nEle porque na cruz Ele demonstrou ser o nosso amorável Salvador!

Cremos que a atitude mais correta é seguir os conselhos da Palavra de Deus, onde com segurança encontramos luz para o nosso caminho durante a jornada neste mundo coberto pelas trevas do egoísmo. A Bíblia diz: “Examinai tudo e retende o que é bom; Nem todo o que diz Senhor entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade do Meu pai”.fonte




Quem é Jesus Cristo ?

por

 "Quem é Jesus Cristo?"



 Quem é Jesus Cristo? Diferentemente da pergunta 'Deus existe?', bem poucas pessoas perguntam se Jesus Cristo existiu ou não. Geralmente se aceita que Jesus foi de fato um homem que andou na terra, em Israel, há quase 2000 anos. O debate começa quando se analisa o assunto da completa identidade de Jesus. Quase todas as grandes religiões ensinam que Jesus foi um profeta, um bom mestre ou um homem piedoso. O problema é que a Bíblia nos diz que 
Jesus foi infinitamente mais do que um profeta, bom mestre ou homem piedoso.



C.S. Lewis, em seu livro Mero Cristianismo, escreve o seguinte: “Tento aqui impedir que alguém diga a grande tolice que sempre dizem sobre Ele [Jesus Cristo]: ‘Estou pronto a aceitar Jesus como um grande mestre em moral, mas não aceito sua afirmação em ser Deus.’ 


Então, quem Jesus afirmou ser? Segundo a Bíblia, quem foi? 


Primeiramente, vamos examinar as palavras de Jesus em João 10:30: “Eu e o Pai somos um.” Em um primeiro momento, pode não parecer uma afirmação em ser Deus. Entretanto, veja a reação dos judeus perante Sua afirmação: “Os judeus responderam, dizendo-lhe: Não te apedrejamos por alguma obra boa, mas pela blasfêmia; porque, sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo” (João 10:33). Os judeus compreenderam o que Jesus havia dito como uma afirmação em ser Deus. Nos versículos seguintes, Jesus jamais corrige os judeus dizendo: “Não afirmei ser Deus”. Isto indica que Jesus realmente estava dizendo que era Deus ao declarar: "Eu e o Pai somos um” (João 10:30). Outro exemplo é João 8:58, onde Jesus declarou: “Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou.” Mais uma vez, em resposta, os judeus tomaram pedras para atirar em Jesus (João 8:59). Ao anunciar Sua identidade como “Eu sou”, Jesus fez uma aplicação direta do nome de Deus no Velho Testamento (Êxodo 3:14). Por que os judeus, mais uma vez, se levantariam para apedrejar Jesus se Ele não tivesse dito algo que creram ser uma blasfêmia, ou seja, uma auto-afirmação em ser Deus?

João 1:1 diz que "o Verbo era Deus". João 1:14 diz que "o Verbo se fez carne". Isto mostra claramente que Jesus é Deus em carne. Tomé, o discípulo, declarou a Jesus: “Senhor meu, e Deus meu! (João 20:28). Jesus não o corrige. O Apóstolo Paulo O descreve como: "...grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo"(Tito 2:13). O Apóstolo Pedro diz o mesmo: "...nosso Deus e Salvador Jesus Cristo"(II Pedro 1:1). Deus o Pai também é testemunha da completa identidade de Jesus: "Mas, do Filho, diz: Ó Deus, o teu trono subsiste pelos séculos dos séculos; Cetro de eqüidade é o cetro do teu reino" (Hebreus 1:8). No Velho Testamento, as profecias a respeito de Cristo anunciam sua divindade: "Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz" (Isaías 9:6).


Então, como argumentou C.S. Lewis, crer que Jesus foi um bom mestre não é opção. Jesus claramente e inegavelmente se auto-afirma Deus. Se Ele não é Deus, então mente, conseqüentemente não sendo também profeta, bom mestre ou homem piedoso. Tentando explicar as palavras de Jesus, 'estudiosos' modernos afirmam que o 'Jesus verdadeiramente histórico' não disse muitas das coisas a Ele atribuídas pela Bíblia. Quem somos nós para mergulharmos em discussões com a Palavra de Deus no tocante ao que Jesus disse ou não disse? Como pode um 'estudioso' que está 2000 anos afastado de Jesus ter a percepção do que Jesus disse ou não, melhor do que aqueles que com o próprio Jesus viveram, serviram e aprenderam (João 14:26)?


Por que se faz tão importante a questão sobre a identidade verdadeira de Jesus? Por que importa se Jesus é ou não Deus? O motivo mais importante para que Jesus seja Deus é que se Ele não é Deus, Sua morte não teria sido suficiente para pagar a pena pelos pecados do mundo inteiro (I João 2:2). Somente Deus poderia pagar tamanho preço (Romanos 5:8; II Coríntios 5:21). Jesus tinha que ser Deus para que pudesse pagar nossa dívida. Jesus tinha que ser homem para que pudesse morrer. A Salvação está disponível somente através da fé em Jesus Cristo! A natureza divina de Jesus é o motivo pelo qual Ele é o único caminho para salvação. A divindade de Jesus é o porquê de ter proclamado: “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” (João 14:6).fonte

E vi um novo céu, e uma nova terra Apocalipse 21:1

por

O que a Bíblia diz sobre os novos céus e nova terra?

Quais são os novos céus e a nova terra, que a Bíblia menciona? A seção da Escritura que aborda esse tópico inclui os dois últimos capítulos da Bíblia, Apocalipse 21-22 . Esta passagem nos forneceu uma visão detalhada sobre a visão dada ao apóstolo João sobre o que vai acontecer no fim dos tempos ou o que é muitas vezes chamado o estado eterno. 

Apocalipse 21: 1 começa assim: "E vi um novo céu e uma nova terra , pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. " O primeiro céu (o céu) e a primeira terra será destruído e o mar vai desaparecer. Crentes viverão em uma existência completamente nova, que inclui uma nova cidade celestial chamada Nova Jerusalém ( Apocalipse 21: 2 .)



A existência de crentes neste lugar é descrito em Apocalipse 21: 3-4 : "Eis a morada de Deus é com o homem. Ele habitará com eles, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus  estará com eles como seu Deus. Ele enxugará toda lágrima de seus olhos, e a morte não existe mais, nem haverá luto , nem clamor, nem dor, porque as primeiras coisas passaram. " Esta morada eterna incluirá Deus com o seu povo em um ambiente perfeito, eterno. 

As dimensões ou o tamanho da nova Jerusalém são dadas em Apocalipse 21: 15-21 . Em termos modernos, esta cidade será de 1.400 milhas por 1.400 milhas (12.000 estádios), um tamanho de dois milhões de pés quadrados! Também será 1.400 milhas de altura, indicando que a cidade será uma forma de quadrada mais de 600.000 andares. Ele irá incluir 12 portas com os nomes das 12 tribos de Israel e 12 bases que incluem os nomes dos apóstolos. A cidade será composto de uma grande variedade de jóias e cores e será feita de ouro. Tenha em mente que esta descrição é a tentativa de João para explicar o esplendor da cidade; ele não pode incluir todos os detalhes de sua grandeza.

Apocalipse 21: 22-23 ações, "E não vi templo na cidade, porque o seu templo é o Senhor Deus Todo-Poderoso e o Cordeiro. E a cidade não necessita de sol. ou a lua de brilhar sobre ele, para a glória de Deus a tem iluminado, e sua lâmpada é o Cordeiro ". Esta nova cidade não irá incluir nenhum templo, sem sol e sem lua. O Cordeiro (Jesus) será a sua luz. Sua existência será perfeitamente seguro e sem pecado.

Apocalipse 22: 5 conclui a descrição dos novos céus e nova terra, dizendo: "
E ali não haverá mais noite, e não necessitarão de lâmpada nem de luz do sol, porque o Senhor Deus os ilumina; e reinarão para todo o sempre. " 

Em última análise, a maior alegria será  habitar em conjunto com todos os crentes na presença do Senhor para sempre. A terra, que começou com os seres humanos em um jardim terminará com o povo de Deus em uma cidade onde teremos perfeita comunhão com Ele.fonte





Você Conhece Jesus Cristo Como Seu Salvador?

por

Você Conhece Jesus Cristo Como Seu Salvador?



'E agora, por um pequeno momento, se manifestou a graça da parte do SENHOR, nosso Deus, para nos deixar alguns que escapem, e para dar-nos uma estaca no seu santo lugar…'Esdras 9.8


Talvez você participe dos cultos de uma boa igreja evangélica. É possível que tenha lido vários trechos da Bíblia e talvez tenha em sua biblioteca livros sobre a vida cristã. Já ouviu falar do Evangelho e da Salvação. Pode até ser que você seja batizado e professe estar entre os salvos.


E mesmo assim, apesar da aparência exterior, pode ser que você ainda não siga a Cristo, pois Ele ainda não é seu Senhor. Independente da sua situação religiosa, peço que considere por um momento: você já foi perdoado por Cristo?


Onde há perdão, houve primeiramente uma ofensa. É fundamental que entendamos que nosso pecado é a nossa maior ofensa contra Deus. Recomendo a leitura do capitulo 9 de Esdras pois neste capitulo, ele confessa seu pecado junto com o pecado do povo de Israel. Lemos a partir do versículo 5: “Me pus de joelhos, e estendi as minhas mãos para o SENHOR meu Deus; e disse: Meu Deus! Estou confuso e envergonhado, para levantar a ti a minha face, meu Deus; porque as nossas iniqüidades se multiplicaram sobre a nossa cabeça, e a nossa culpa tem crescido até aos céus. Desde os dias de nossos pais até ao dia de hoje estamos em grande culpa…” A atitude de Esdras demonstra que ele enxergava seus pecados como sendo ofensivos ao próprio Deus santo. Esdras não fez de conta que seus pecados eram ocultos ou discretos e nem ainda uma “escolha pessoal”, mas admite que “nossa culpa tem crescido até aos céus“. Nossa culpa é vista por Deus, pois vivemos todo dia perante Seus olhos. O próprio Esdras reconheceu, “Eis que estamos diante de ti, na nossa culpa” (Ed 9.5). O Rei Davi admitiu “Fiz o que é mal à tua vista” (Sl 51.3) e o profeta Isaias confessou, “as nossas transgressões se multiplicaram perante ti, e os nossos pecados testificam contra nós” (Is 59.12).Essa culpa “que tem crescido até aos céus” é o efeito colateral do pecado. A culpa nos lembra a cada momento da condenação justa por causa do pecado. Carregamos o peso da punição vindoura, temendo um encontro com o Deus Justo depois da morte. “Todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à servidão” (Hb 2.15). E com toda razão, afinal a Bíblia não poupa palavras quando descreve a punição eterna daqueles que zombam de Deus: “Este beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não misturado, no cálice da sua ira” (Ap 14.10).


Antes de ser salvo, é necessário que você perceba o quão perdido você é nos seus pecados. Somente o náufrago clama por socorro. Você já chegou a se ver culpado diante do seu Criador? Chegou a admitir, “Fui pesado na balança da perfeição divina e tenho sido achado em falta”? Já confessou, “estou destituído da glória de Deus”?


Se você está carregando o peso da condenação, as boas novas do Evangelho serão como água para sua alma sedenta. Aqueles que são corroídos pela podridão do pecado acharão restauração em Cristo. Ele diz: “Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome, e quem crê em mim nunca terá sede” (Jo 6.35). Este versículo diz a respeito à satisfação. Deus foi satisfeito com o sacrifício de Jesus Cristo na cruz. Cristo se satisfaz em remir pobres desgarrados e nós somos satisfeitos com a regeneração das nossas almas. Certamente, quem corre a Cristo, encontra satisfação eterna. Como não ser satisfeitos quando experimentamos que “se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” (2Co 5.17)? O Salmista escreveu, alegre e satisfeito: “Tu limpas as nossas transgressões. Bem-aventurado aquele a quem tu escolhes, e fazes chegar a ti, para que habite em teus átrios; nós seremos fartos da bondade da tua casa e do teu santo templo” (Sl 65.3,4).


Somos lavados das nossas transgressões! Cada detalhe do pecado é expurgado pelo sangue de Cristo. O sacrifico de Cristo é tão completamente imerecido e tão maravilhosamente completo. O Filho de Deus fez-se carne para resgatar-nos da nossa carnalidade. Ele deu sua vida na cruz para assim dar vida aos acusados. O Justo morreu pelos injustos. Foi paga a minha divida, pois o Filho de Deus aceitou morrer a minha morte na cruz aonde eu deveria ter sido crucificado. Claramente entendemos: “O Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos” (Mt 20.28). Jesus Cristo, o unigênito Filho de Deus, tomou sobre Si a ira de Deus para que – morto e ressurreto – fosse a salvação completa dos mais indignos pecadores.


Você está satisfeito em Cristo? A sua alma repousa nele? Ou está ainda a procura de outro consolo além de Cristo?


Talvez você esteja confuso em como chegar a Cristo. Vejamos novamente a oração de Esdras, em Esdras capitulo 9. Perceba como ele reconheceu sua vergonha e iniquidade no versículo 6, confessou sua culpa no versículo 7 e por fim agarra-se à graça de Deus no versículo 8: “Agora, por um pequeno momento, se manifestou a graça da parte do SENHOR, nosso Deus, para nos deixar alguns que escapem, e para dar-nos uma estaca no seu santo lugar; para nos iluminar os olhos, ó Deus nosso, e para nos dar um pouco de vida na nossa servidão” (Ed 9.8). A graça de Deus tem se manifestada, permitindo que nós – presos na servidão ao pecado – possamos escapar da culpa e da condenação. É um escape imerecido, pago na integra por Cristo. Boas intenções, ofertas financeiras ou serviço dedicado não alcançarão o que a graça de Deus alcança por nós: um escape!


Como então ir a Cristo? Correndo. Como confiar nele? Inteiramente. Como rogar Sua misericórdia? Confessando seus pecados e crendo que Ele providenciou um escape. Devemos agarrar esta verdade: “Na nossa servidão não nos desamparou o nosso Deus; antes estendeu sobre nós a sua benignidade…para que nos desse vida” (Ed 9.9).


Agora não seria a hora de buscar essa benignidade de Deus? Onde quer que você esteja, não seria agora o momento de buscar um tempo à sós, e, de joelhos dobrados e coração quebrantado, rogar que Deus lave sua alma no sangue de Cristo? Estas palavras deviam ser suas: “Esconde a tua face dos meus pecados, e apaga todas as minhas iniquidades. Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto” (Sl 51.9,10).


Nós nos preocupamos com a mensagem da salvação porque não temos outra mensagem a anunciar a não ser: “Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores” (1Tm 1.15). É bom ler artigos, é ótimo ouvir palestras e excelente investir em bons livros. Mas nada valerá a pena se em primeiro lugar você não tem buscado o perdão de Deus aos pés da cruz. fonte


PERGUNTO NOVAMENTE: Você conhece Jesus Cristo como seu Salvador?

Top Ad 728x90